[:pb]QCeviche! se une ao Instituto Brasil a Gosto e chefs do Brasil para ajudar vítimas em Brumadinho[:]

[:pb]De 30 de janeiro a 5 de fevereiro, as duas unidades da rede de restaurantes QCeviche! na cidade de São Paulo se uniram ao Instituto Brasil a Gosto, instituição sem fins lucrativos fundada pela chef Ana Luiza Trajano, empresários e restaurantes do país para abraçar a campanha #SomosTodosBrumadinho. Parte da renda obtida com a venda das sobremesas (50%), nas unidades Barra Funda e Faria Lima, foi revertida em prol das vítimas da tragédia em Minas Gerais. A campanha, que ainda segue em alguns restaurantes até 31 de março, ganhou as redes sociais e foi destaque em sites e em revistas, como Marie Claire, Casa & Jardim e Glamurama.

 

A ideia de #SomosTodosBrumadinho foi ampliar, no Brasil, a campanha #PaodeQueijoPelaVida, lançada pelo chef Raphael Rego, do Oka, de Paris – restaurante que, recentemente, consagrou-se como o único a ganhar estrela Michelin, no exterior, com cozinha brasileira. Raphael decidiu vender em seu restaurante, por um mês, porções de pão de queijo, ícone da cozinha mineira, a 5 euros, com toda renda revertida às vítimas.

 

Participaram no Brasil  26 estabelecimentos de 9 estados e Distrito Federal. As unidades QCeviche! em São Paulo estiveram ao lado de restaurantes como a Casa do Porco Bar (chef Jefferson Rueda), Bar da Dona Onça (Janaína Rueda), Kitanda Brasil (Tanea Romão), Ponte Nova (Joca Pontes), Quina do Futuro (André Saburó), entre outros.[:]

[:pb]Vídeo para a Pousada Provence Cottage & Bistrô, em Minas Gerais[:]

[:pb]Tem novidade no ar: vídeo sobre a Provence Cottage & Bistrô, comandada com carinho pela dupla Ari Kespers e Whitman Colerato, lá nas montanhas mineiras. Produção: Bress Comunicação em parceria com o estúdio Proshot.

https://youtu.be/n-xOENvsHV4[:]

[:pb]Um stio arqueolgico em Minas[:en]Um stio arqueolgico em Minas EN[:]

Inscries rupestres da Pedra Pintada
Inscries rupestres da Pedra Pintada (fotos: Eduardo Merli)

Distante 85 km de Belo Horizonte (MG), est o esquecido distrito de Cocais, em Baro de Cocais. A vila foi fundada em 1703 por dois irmos portugueses – Antnio e Joo Furtado Leite -, que chegaram ali atrados pelo ouro das Gerais. Hoje, ela mantm um pequeno casario no centro histrico, em torno da igreja de Sant’Ana, erguida no sculo XVIII e reformada em 1830. No interior dela, est sepultado Feliciano Pinto Coelho, o Baro de Cocais, que d nome cidade.

Igreja Matriz do Rosrio (foto: Eduardo Merli)
Igreja Matriz do Rosrio

Do outro lado da rua, no restaurante Villa dos Cocais, possvel pedir o mexido do Baro (paio, cheiro verde, farofa e ovos) ou outras iguarias da cozinha mineira. A maior surpresa de Cocais, porm, est pouco mais de 3 km do distrito. Saindo do Largo do Rosrio (onde est a igreja matriz), basta seguir as placas pela estrada de terra para se chegar at o stio arqueolgico da Pedra Pintada. O local est dentro de uma propriedade privada e preciso pagar uma pequena taxa. A trilha at a pedra tranquila e vale a pena: a Pedra Pintada rene 122 pinturas rupestres datadas entre 6 e 8 mil anos. So desenhos de animais, cenas de caadas e lanas produzidos com tintas minerais. Alm da vista incrvel, h cachoeiras no entorno.

Cachoeira de Cocais, uma das quedas d'gua prximas ao stio arqueolgico
Cachoeira de Cocais, uma das quedas d’gua prximas ao stio arqueolgico

Contedo: Bress Comunicao.